A Stranger Paradise

Add this page to Blinklist Add this page to Del.icoi.us Add this page to Digg Add this page to Facebook Add this page to Furl Add this page to Google Add this page to Ma.Gnolia Add this page to Newsvine Add this page to Reddit Add this page to StumbleUpon Add this page to Technorati Add this page to Yahoo

Bórgia Ginz

Ansiamos a instituição da livre circulação e transmissão de objectos da criação intelectual abstracta. O Homem não é; o Homem é uma potência do que pode vir a ser. E nós ambicionamos o Homem-outro. Nós não nos baseamos nas velhas teorias. Nós não nos baseamos em nada. Construimos realidade. A nossa.

astrangerparadise.com

 

Joséphine Muller

De jour en jour le besoin s'impose d'avantage. Il ne se prête plus guère à une considération détachée. La stylistique appliquée n'est pas l'observation du réel.

astrangerparadise.com/josephinemuller

 

Ian Linter

Non musika Excentrica IN! For electronikal renoise Key. Submit Random Science & reduction. Overflow cast Numar is for Den emon exp & la mort pour Vitas body convolution.

astrangerparadise.com/ianlinter

 

Juca Pimentel

Eu olho para Ti, e tenho medo, minha querida… Eu vejo-Te despida num sonho purpúreo e diabólico, e sinto nojo… e sinto vontade de vomitar, meu amor….

omnicorn.com/jp

Radio schedule

Thu Jun 29 @15:00 - 05:00PM
Free

Thu Jun 29 @20:00 - 08:59PM
O coleccionador de sons

Fri Jun 30 @15:00 - 05:00PM
Free

Sat Jul 01 @15:00 - 05:00PM
Free

Sun Jul 02 @15:00 - 05:00PM
Free

OLoF NiNe - Fuck, You're Dead - A Stranger Paradise
OLoF NiNe - Dancing Days/Tek No - A Stranger Paradise

Newsletter


04 Jun

VISÕES, por Zombie

Rate this item
(0 votes)

SOU…

 

Forte como um touro raivoso me transforma…
Garras de ave de rapina me dá…
Loucura e precisão de ourives me fornece…
Os meus olhos
perscrutam ávidamente a paisagem nocturna,
que se desenrola por detrás das sombras fugidias
do comboio atrasado…
Os meus olhos
olham por entre os vidros das janelas
imaginam um enorme espelho – opaco
a figura esbelta da minha presença…
O beijo de uma mulher –
segurança… presença…
superioridade não provocada…
As garras actuam… provocando
Da minha expressão o espelho arranca a expressão
assassina de um cão que ladra,
mas que não morde
(Sim! Os cães não pretendem morder, apenas assustar)
Como eu…
Belo. Narciso superior.
Aquele que gosta
de observar,
de comandar as tropas,
os soldados para os infindáveis assaltos…
Traidor de todos.
Incendiário de paixões já não mais contidas.
Traidor de mim próprio.
Feliz – ao desconcertar quem não sabe
a razão de não querer ser considerado amigo
Sou
livre… de todos
Estou
livre… de tudo
Não me importunam mais os espíritos malignos
que me povoam as trombas

 

 

§§§

 

 

A ESLAVA COMPAIXÃO

 

Acordar longínquo e tardio do ser
Passar intermináveis tardes na pastelaria
Sonhar esmaecidamente algo que não existe,
sonhar num frémito a realidade
Esquecer enternecidamente compromissos inadiáveis
Esperar alguém que sabemos que não virá,
mas que não queremos que chegue
A permanência de nós em nós próprios
A pureza de estar escrevendo
sobre um livro insustentável, não o abrir
por humildade e um pouco de preguiça
A sensação de sermos realmente nós,
de termos direito a abusar da nossa paciência
Ah!, contemplar as pessoas que me observam
como se fosse um esquizofrénico
A vida, a eterna metáfora de quem sabe
que algo sempre acontece quando o menos
desejamos,…
quando o menos
esperamos,… (e SURPRESOS)
Chove neste momento, estou preso
Que bom!, a melancolia radiosa.

 

 

 

§§§

 

 

CAPTOMANTE 2 (PARTE I)


Convoluindo a génese humana
com o doce sabor do som de uma guitarra
Reparamos na existência
de uma ténue esperança
de que algo mudará.
Mas, no entanto
a imperceptível volúpia
nos sussurra que nos sentimos sós.
Este é talvez o maior dilema da Existência.

 

 

§§§

 

 

 

TRÊS EM UM


 

Uma sensação
uma cadeira um poster uma cama um quadro
Frio como a noite ele é
Uma vaguear um delírio
um tecto uma caneta um papel
Terno como os lençóis ele gostaria de ser
Um objecto perdido no meio da multidão
uma negação uma escrita uma divagação
Só como as sombras ele se sente
Uma sombra uma luz uma melodia
um objecto um tema um lema uma conversa
Triste como a noite ele está
Um esvoaçar de cigarros
uma vontade um adormecer um poema
(Fraco como o seu corpo ele permanece)
Uma sensação de alívio… de triste beleza

 

 

§§§

 

 

SCUASCRAAMO


 

Senta-te em cima de um penhasco
e pensa
Convolui-te com a tua mente
Ultrapassa a fronteira
Atira-te
e recorda
Sente os teus conhecidos
Chorando por ti rezando pela tua alma
Recorda o teu passado
pensa nas boas e más acções
Admira os teus momentos de felicidade
e chora
A sorte não te premiou como devia
Mas nunca te esqueças
Os mortos também dançam

 

 

§§§

 

 



Bórgia Ginz

Bórgia Ginz

Ansiamos a instituição da livre circulação e transmissão de objectos da criação intelectual abstracta. Como forma de acesso dos comuns mortais a realidades outras; como forma de incentivar cada indivíduo a criar a sua própria realidade. O Homem não é; o Homem é uma potência do que pode vir a ser. E nós ambicionamos o Homem-outro. Não confiamos no intelecto humano quando este se constroi encima da total ignorância sobre o absoluto da matéria. Apenas constatamos a intelectualidade que nasce da experimentação directa de um objecto material. O mundo tomba sob o peso de cada teoria nova baseada em velhas teorias do absurdo humano. Nós não nos baseamos nas velhas teorias. Nós não nos baseamos em nada. Construimos realidade. A nossa.

Website: astrangerparadise.com E-mail: This e-mail address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it

Add comment


Security code Refresh

Most recent

Most read